Um  suave rigor sem gorgeios parece definir o estilo de tocar de Baden Powell. Rigor devido provavelmente a educação musical clássica de um pai violinista e um avô maestro fizeram de um menino de 13 anos, um prodígio capaz de tocar Paganini!

 
A influência popular vem das ruas da cidade onde foi criado: Rio de Janeiro, com suas favelas e seus sambas, e do Jazz que com sua penetração deu vida a Bossa Nova.

 

Suas inspirações, Ernesto Nazareth, Pixinguinha, Barney Kessel e Garoto. De Vinicius de Moraes, seu parceiro, ele disse: "Ele era meu pai, sinto-me órfão". Os americanos o descobriram nos anos 60, graças ao saxofonista Stan Getz, os franceses em 63 no Olympia de Paris, e o Japão nos anos 70. Com ele, a difícil fronteira entre clássico e popular não existe mais; sua obra que reúne centenas de composições que se tornaram clássicos do cancioneiro popular, Berimbau, Samba Triste, Canto de Ossanha, ficarão com certeza na memória das futuras gerações.

 
Não é essa a marca dos grandes compositores?